Biocombustíveis têm papel fundamental no setor energético, destaca Fernando Coelho

Imagem retirada de http://amazonasatual.com.br/ministerio-de-minas-e-energia-diz-avaliar-pedido-da-industria-para-o-fim-da-cde/ Imagem retirada de http://amazonasatual.com.br/ministerio-de-minas-e-energia-diz-avaliar-pedido-da-industria-para-o-fim-da-cde/

30/11/2016

O setor sucroenergético tem papel importante dentro dos diversos assuntos abrangidos pelo Ministério de Minas e Energia (MME) para levar o país a atingir seus compromissos firmados internacionalmente, afirmou o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. O ministro participou do Unica Fórum 2016 nesta segunda-feira, em São Paulo, realizado pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

"Estar aqui na Unica tem significado enorme. Temos os compromissos que assumimos internacionalmente e 2030 está logo aí. Precisamos começar a fazer as entregas que o mundo e que a população brasileira demandam de nós. E o MME vai dar a contribuição até o limite de suas possibilidades, para dar ao país as bases que precisamos para crescer", disse o ministro em seu discurso, citando o acordo firmado pelo Brasil na COP 21, de que a participação dos biocombustíveis chegue a 18% na matriz energética até 2030.

A iniciativa RenovaBio, que pensará o papel dos biocombustíveis no pais, será tema de workshop no Ministério de Minas e Energia no dia 13 de dezembro, contou Fernando Coelho Filho aos participantes do evento. A iniciativa contará com a participação da sociedade por meio de consulta pública, no mesmo formato do que foi feito com o Gás para Crescer. O objetivo é "desinterditar" o diálogo, o que também será alcançado com o lançamento do RenovaBio.

"Estamos abertos àqueles que queiram dar sua contribuição, sua crítica. O país precisa das contribuições do setor privado, pois o governo não pode e não deve querer tolher ou mensurar qualquer tipo de ganho (desse setor). O que compete ao governo, e seremos implacáveis, é garantir serviço de qualidade a preço competitivo para nossa população. Isso sim é papel do governo, como formulador de política: estabilizar as regras claras, auxiliando naquilo que for possível, para que possamos dar à iniciativa privada as condições de poder fazer seus investimentos", disse o ministro.

O secretario de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME, Márcio Félix, participou de painel durante o evento. Aos convidados, Félix destacou que a iniciativa RenovaBio pretende promover "o diálogo amplo e irrestrito para a construção coletiva de políticas públicas". No primeiro painel, o diretor do Departamento de Biocombustíveis do MME, Miguel Ivan Lacerda Oliveira, também apresentou mais detalhes do RenovaBio.

fonte: Udop, com informações da Assessoria de Comunicação Social do Ministério de Minas e Energia