Cinco países compram 53% dos produtos do agronegócio brasileiro em junho

Imagem retirada de http://www.happening.com.br/agronegoacutecio.html Imagem retirada de http://www.happening.com.br/agronegoacutecio.html

17/07/2015

China, Estados Unidos, Países Baixos, Alemanha e Rússia foram os principais países importadores de produtos brasileiros do agronegócio em junho deste ano. No total, as compras desses cinco países somaram US$ 4,82 bilhões e representaram quase 53% das exportações do Brasil. Entre os setores que mais se destacaram no mês passado, estão o complexo soja, carnes, café, produtos florestais e fumo.

De acordo com dados do Sistema de Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro (AgroStat), a China ficou na primeira posição nas importações de junho, com US$ 3,29 bilhões. Em seguida, aparecem Estados Unidos, com US$ 540,26 milhões, e Países Baixos, com US$ 520,74 milhões. Na quarta posição está a Alemanha, com US$ 235,67 milhões, e na quinta, a Rússia, com US$ 231,25 milhões.

China
As maiores importações chinesas foram do complexo soja, com US$ 2,95 bilhões: US$ 2,94 bilhões de soja em grãos e US$ 16,83 milhões de óleo de soja. Em seguida, aparecem os produtos florestais, com US$ 144,90 milhões: US$ 129,02 milhões de celulose, US$ 10,36 milhões de papel e US$ 5,53 milhões de madeira.

O setor de carnes foi o terceiro mais importado pela China, com US$ 84,11 milhões: US$ 63,70 milhões de carne de frango, US$ 20,12 milhões de carne bovina e 288,38 mil de carne suína.

EUA
Os produtos florestais foram os principais produtos importados pelos EUA em junho deste ano, com US$ 215,66 milhões. No setor, a celulose teve destaque e atingiu US$ 99,69 milhões, seguida pela madeira, com US$ 92,16 milhões, e pelo papel, com US$ 23,80 milhões. O café ficou na segunda posição, com US$ 87,30 milhões, e em terceiro, o fumo e seus produtos, com US$ 41,63 milhões.

Assim como a China, também nos Países Baixos o destaque foi o complexo soja, com importações de US$ 255,21 milhões. Nesse conjunto, o principal produto foi a soja em grãos, com US$ 128,10 milhões. Em segundo ficou o farelo de soja, com US$ 127,03 milhões e o óleo de soja, com US$ 84,48 mil.

Em seguida, ficaram os produtos florestais, com US$ 88,83 milhões: US$ 86,16 milhões de celulose e US$ 2,67 milhões de madeira. Os sucos ocuparam a terceira posição nas importações dos Países Baixos de produtos brasileiros do agronegócio no mês de junho: US$ 73,77 milhões. Deste valor, US$ 72,49 milhões foram de suco de laranja, e US$ 1,28 milhão foi de sucos de outras frutas.

Alemanha
O destaque das importações da Alemanha em junho também foi o complexo soja, com US$ 103,69 milhões. O farelo de soja foi o principal produto importado, com US$ 74,53 milhões, seguido da soja em grãos, com US$ 29,17 milhões.

Em seguida aparece o café, com US$ 76,29 milhões: US$ 75,53 milhões de café verde e café torrado e US$ 758,27 mil de extrato e sucedâneos de café.

As carnes foram o terceiro item importado pela Alemanha, com US$ 13,52 milhões. O destaque foi da carne de frango, com US$ 6,95 milhões, seguida da carne bovina, com US$ 4,02 milhões, e da carne de peru, com US$ 2,16 milhões.

Rússia
Ainda segundo os dados do AgroStat, as carnes também foram o principal item importado pela Rússia em junho, com US$ 159,47 milhões. O destaque foi a carne suína, com US$ 72,28 milhões, seguida da carne bovina, com US$ 70,16 milhões.

A carne de frango brasileiro ocupou o terceiro lugar nas importações russas em junho, com US$ 16,30 milhões, seguida da carne de peru, com US$ 427,60 mil.

O complexo sucroalcooleiro brasileiro foi o segundo a se destacar nas importações da Rússia no mês de junho, com US$ 26,70 milhões. Em terceiro ficou o fumo e seus produtos, com US$ 18,42 milhões.

Fonte: Udop, com informações da Assessoria de Comunicação Social MAPA