Com área reformulada, Agrishow espera público 13% maior em 2014

Imagem: Érico Andrade/G1 Imagem: Érico Andrade/G1

25/04/2014

Trabalhadores aproveitam os dias quentes e ensolarados para terminar a montagem dos últimos estandes que receberão os expositores da 21ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow), em Ribeirão Preto (SP). O evento acontece entre os dias 28 de abril e 2 de maio, e espera receber cerca de 170 mil visitantes de todo o país e do exterior – público 13% maior que no ano passado.

Considerada a maior feira de agronegócios da América Latina, a Agrishow reunirá 800 empresas dos mais variados segmentos, para comercializar desde máquinas e implementos agrícolas, até aviões, ferramentas e veículos. Para receber o número recorde de público e expositores, os mais de 440 mil metros quadrados Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico, localizado às margens da Rodovia Antônio Duarte Nogueira (SP-322), foram reformados.

Reivindicação antiga, as principais ruas da propriedade – que antes eram cobertas por brita – foram asfaltadas. Além disso, um galpão com aproximadamente 20 mil metros quadrados foi construído para receber parte das empresas expositoras. “A Feira começa a mostrar a sua cara. Esses são os primeiros investimentos feitos, a partir do momento em que a gente conseguiu a concessão da Feira por mais 30 anos”, diz o presidente da Agrishow, Maurílio Biagi Filho.

Com o objetivo de evitar tumultos e incômodo aos visitantes, como aconteceu no dia 1º de maio do ano passado, quando os organizadores precisaram fechar o evento devido ao excesso de veículos, o estacionamento da Feira foi ampliado e agora conta com mais 1.250 vagas, que representam 25% do total de 5 mil vagas para carros disponíveis.

Segundo Biagi Filho, a expectativa é que até o final dessa semana toda a estrutura esteja montada, faltando apenas detalhes como decoração dos estandes. O presidente afirmou que espera crescimento de 10% nos negócios durante os cinco dias de evento – em 2013, a Agrishow gerou R$ 2,6 bilhões.

“A gente tem que considerar que movimenta a economia de todo o país, mas principalmente da região. São 160 mil agricultores, do Brasil inteiro, plantadores de várias culturas, que deixam na economia de Ribeirão Preto mais de R$ 500 milhões”, afirma o presidente, destacando a geração de emprego e renda em setores como o de serviços, comércio, hotelaria, além de bares e restaurantes.

Fonte: G1