Expectativa de retomada do setor é discutida na Fenasucro/Agrocana

Imagem retirada de http://udop.com.br/index.php?item=noticias&cod=1140336 Imagem retirada de http://udop.com.br/index.php?item=noticias&cod=1140336

26/08/2016

Desde a última terça-feira (23), uma das maiores feiras do segmento sucroenergético acontece em Sertãozinho, interior de São Paulo. A 24ª edição da Feira Internacional de Tecnologia Sucroenergética - Fenasucro & Agrocana, termina amanhã (26) e expõem mais de mil marcas que estimulam o fomento de negócios do setor e ainda acumula 200 horas em eventos técnicos, durante os 4 dias de feira. Em meio a perspectivas de mudanças no setor, o sentimento é que a feira proporcione novas oportunidades também e seja um divisor de águas.

O Presidente de honra da Fenasucro & Agrocana, Antônio Eduardo Tonielo disse que a feira sempre foi da mudança, visto que ela traz sempre as novidades para o setor, possibilitando aos produtores investimentos na busca de maior produtividade. Tonielo reconhece o momento favorável, visto que há um déficit no mercado mundial de açúcar. "A única diferença da mudança do setor, é que nós enfrentamos uma crise desde 2008 e acho que agora é hora de o setor ter uma mudança por causa do déficit de açúcar mundial. Isso vai ajudar as usinas a terem um mix melhor para açúcar e ganhar alguma coisa para ajudar a pagar as contas", explica.

A abertura do evento foi marcada pela presença do governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin e também do secretário de Agricultura de SP, Arnaldo Jardim, rodeado por outras autoridades e líderes do setor. Em discurso, o governador declarou ser fã do setor, por acreditar que esta é uma indústria que gera desenvolvimento econômico e ambiental para o estado e para o país.

Antes da cerimônia oficial de abertura, a Datagro Consultoria e o Ceise BR realizaram a V conferência Datagro CeiseBR - Fenasucro 2016. Reunindo os grandes líderes do setor sucroenergético para discutir o mercado atual, o Presidente da Datagro, Plínio Nastari abriu o debate com um painel sobre o mercado mundial de açúcar e etanol, bem como as perspectivas que geram a possível virada na crise econômica.

fonte: Agência Udop, escrita por Camila Lemos