Exportação do agronegócio deve crescer US$ 2,5 bilhões em 2016

Imagem retirada de http://www.manutencaoesuprimentos.com.br/conteudo/5979-exportacao-brasileira-quadruplicou-desde-2002/ Imagem retirada de http://www.manutencaoesuprimentos.com.br/conteudo/5979-exportacao-brasileira-quadruplicou-desde-2002/

04/01/2016

As exportações do agronegócio brasileiro deverão crescer US$ 2,5 bilhões em 2016, com o total de produtos agrícolas e pecuários vendidos no exterior superando a marca dos US$ 90 bilhões. Em 2015, essas vendas no exterior ficarão em torno de US$ 89 bilhões.

A projeção de aumento foi anunciada nesta terça-feira (15) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e se baseia na abertura de novos mercados para os produtos brasileiros.

A meta de expansão, afirmou a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, é fazer com que os produtores do País elevem sua participação no mercado internacional do agronegócio nos próximos anos.

“De todo o comércio mundial do agronegócio, o Brasil representa apenas 7,5%. Queremos chegar a 10% e vamos investir em 22 países que representam mais de 70% do comércio mundial. Dá pra crescer bastante”, disse a ministra.

Se isso se concretizar, significará US$ 16 bilhões em receitas externas a mais para o País nos próximos anos.

Entre os produtos com grande potencial de expansão no mercado externo, estão carnes, lácteos e frutas, além de grãos. Em termos de mercados, o Brasil vai reforçar negociações comerciais com países da Ásia, como China e Índia, países europeus, além de países com grandes mercados consumidores como México, Rússia e Estados Unidos.

Política agrícola
Em outra frente de atuação, Kátia Abreu disse que o Ministério da Agricultura prepara uma proposta de política agrícola plurianual a ser apresentada ao Congresso no primeiro semestre do ano que vem.

A meta é fazer com que o Plano Safra dê maior previsibilidade aos agricultores, com um horizonte mínimo de dois anos nos financiamentos do custeio, comercialização e investimentos.

Para se ter uma ideia do volume movimentado, o Plano Safra 2015/2016 ofertou R$ 158 bilhões em créditos subsidiados.

“O objetivo é ter previsibilidade. Não dá pra ter um negócio deste tamanho e ficarmos dependentes ano a ano. O mais importante não e garantir volumes é ter a certeza do volume”, comentou a ministra.

Nas projeções do governo, a safra 2015/2016 deverá ficar em 210,95 milhões de toneladas de grãos, com o valor bruto da produção nacional atingindo R$ 492,6 bilhões.

Seguro agrícola
Uma terceira frente de atuação é a ampliação do seguro agrícola para R$ 1 bilhão em 2016. Esse montante do subsídio do governo ao seguro agrícola já seria suficiente para cobrir uma área de 20 milhões de hectares, dois terços da área onde há risco de clima do País.

A medida ajudaria a assegurar renda para o pequenos e médio produtores rurais, que compõem a maior parte dos cerca de 5 milhões de agricultores brasileiros.

Kátia Abreu disse que R$ 800 milhões do seguro agrícola estão praticamente garantidos no orçamento da União de 2016. Afirmou, também, que o restante será obtido com suplementação orçamentária a ser negociada mediante a venda no mercado do estoque agrícola de grãos que o governo possui. A receita com a venda do estoque de grãos é estimada em R$ 800 milhões.

Ao apresentar as diretrizes para 2016, a ministra afirmou que busca fortalecer a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) por meio de novos equipamentos e investimento em pesquisa. Para tanto, ela disse que pretende usar R$ 50 milhões da venda do estoque de grãos para reforçar o orçamento da instituição.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Mapa