Exportação do agronegócio supera US$ 100 bi

Imagem retirada de http://envolverde.com.br/economia/pacto-de-poder-com-os-donos-da-terra/ Imagem retirada de http://envolverde.com.br/economia/pacto-de-poder-com-os-donos-da-terra/

13/11/2013

De outubro de 2012 a setembro deste ano, os valores foram de US$ 104 bilhões. Esse valor nunca havia sido atingido e supera em 7,7% o de igual período anterior, conforme dados divulgados pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

O resultado poderia ter sido ainda melhor. Isso porque o Brasil aumentou o volume exportado em 20,5% no período, mas os preços recuaram 7% em dólar.

Entre os produtos que aumentaram o volume exportado neste período, estiveram milho, soja em grão, açúcar carnes e café.

Mas os dados do Cepea indicam que apenas soja em grãos e farelo, carnes de aves e suína e celulose tiveram aumento de preços em dólares.

O agronegócio foi o grande sustentáculo da balança comercial nos últimos anos.

Do início dos anos 2000 a setembro último, o Cepea registrou um aumento de 240% nas exportações brasileiras no setor.

Esse aumento ocorreu mesmo com uma evolução de 53% na valorização do real. Nesse mesmo período, os preços externos subiram 110%.

O milho foi o grande destaque nas exportações dos últimos 12 meses, com alta de 66% em relação a igual período anterior. Outros destaques foram os setores sucroalcooleiro, com aumento de 32%; soja em grãos, 28%; carne bovina, 21%; café, 16%; e suco de laranja, 11%.

Os dados do Cepea indicam que o país continua elevando as exportações de commodities, mas perde nas vendas externas de produtos agregados.

Nos nove primeiros meses deste ano, enquanto as vendas externas de soja em grão tiveram um bom desempenho, as de farelo e óleo de soja recuaram.

As exportações de óleo de soja caíram 34%, enquanto as de farelo recuaram 9,5% no período.

A China, principal importadora de soja do Brasil, dá prioridade à compra do grão para fazer a industrialização do produto nas indústrias internas.

Na avaliação do Cepea, o agronegócio deve encerrar o ano com recorde de exportação. Os preços não devem ter variação substancial.

Fonte: Folha de S.Paulo