Exportações brasileiras em maio superam US$ 10 bilhões

12/06/2012

As exportações do agronegócio atingiram a cifra recorde de US$ 10,26 bilhões em maio deste ano. Antes, o maior valor foi registrado em agosto de 2011, com US$ 9,84 bilhões. O resultado expressivo representou uma elevação de 21,2% em relação a maio do ano passado. As importações de produtos do agronegócio, por outro lado, tiveram diminuição de 14,1%, com registros de US$ 1,34 bilhão em aquisições do exterior. O saldo comercial dos produtos do agronegócio ficou em US$ 8,92 bilhões.

Nos últimos doze meses, o comércio do agronegócio brasileiro para o exterior teve expansão de 17,9%, alcançando US$ 97,4 bilhões. As importações chegaram a US$ 17,4 bilhões entre junho de 2011 e maio de 2012, com elevação de 13,9%. A forte elevação das vendas externas propiciou um saldo comercial de US$ 80 bilhões no período. A balança comercial do agronegócio foi elaborada pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a partir dos dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

De junho de 2011 a maio de 2012, o complexo soja (grão, farelo e óleo) continua sendo o principal setor exportador, com as vendas externas subindo 41% e passando de US$ 19,3 bilhões para US$ 27,2 bilhões. O complexo sucroalcooleiro ficou na segunda posição, com exportações de US$ 15,9 bilhões (+13,2%). Os outros três principais setores foram carnes (US$ 15,9 bilhões; +9%), produtos florestais (US$ 9,4 bilhões; -1%) e café (US$ 8,2 %; +14,3%). Esses cinco principais setores tiveram expansão de participação no total das exportações de 78,2% para 78,6%.

O complexo soja, principal responsável pela elevação das vendas no acumulado em 12 meses, teve elevação das vendas em US$ 7,9 bilhões, o que representou 53,4% do incremento de US$ 14,8 bilhões no valor total exportado. Outros setores também tiveram importante contribuição, como o complexo sucroalcooleiro, que teve elevação de US$ 1,8 bilhão em vendas no período, as carnes, que tiveram aumento de US$ 1,3 bilhão e o café, com expansão de US$ 1 bilhão.

A China continua apresentando o maior dinamismo importador em relação aos produtos do agronegócio brasileiro. Nos últimos doze meses, a China ampliou as importações do agronegócio brasileiro em 59,7%, expandindo a sua participação de 14,4% para 19,6%. Caso se agregue às compras da China as aquisições da região especial administrativa de Hong Kong (2,2%) e as aquisições da província chinesa de Taiwan (1,3%), o país atingiu a participação de 23,1% no total das aquisições. Essa fatia é próxima em tamanho da fatia da União Europeia, que ficou com 24,1%.

Fonte: Agência Brasil - Min. da Agricultura, Pecuária e Abastecimento