Kátia Abreu anuncia R$ 9 bilhões em crédito para pré-custeio da safra

Imagem retirada de http://www.otempo.com.br/capa/economia/k%C3%A1tia-abreu-anuncia-r-9-bilh%C3%B5es-em-cr%C3%A9dito-para-pr%C3%A9-custeio-da-safra-1.1024327 Imagem retirada de http://www.otempo.com.br/capa/economia/k%C3%A1tia-abreu-anuncia-r-9-bilh%C3%B5es-em-cr%C3%A9dito-para-pr%C3%A9-custeio-da-safra-1.1024327

15/04/2015

Os recursos para o pré-custeio da safra somarão R$ 9 bilhões este ano, anunciou nesta terça-feira (14) a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, ao sair de reunião no Ministério da Fazenda. As linhas de crédito de pré-custeio financiam a compra de insumos como fertilizantes e defensivos agrícolas antes do início de cada safra.

De acordo com a ministra, as condições dos empréstimos, como juros, carência e prazo, serão anunciadas nesta quarta-feira (15). Do montante total, R$ 7 bilhões sairão do Banco do Brasil, e os R$ 2 bilhões restantes, da Caixa Econômica Federal.

“Estão faltando apenas detalhes [para anunciar as linhas de crédito para o pré-custeio]. Os recursos já estão disponíveis. Vão sair R$ 7 bilhões do Banco do Brasil e R$ 2 bilhões da Caixa. Os R$ 7 bilhões no Banco do Brasil são para a agricultura geral [pequenos, médios e grandes produtores] e os R$ 2 bilhões da Caixa, com juro menor, para o Pronamp [programa para médios agricultores]”, disse a ministra.

Mais cedo, os dois bancos tinham anunciado o orçamento das linhas de crédito, sem detalhar as condições dos empréstimos. Para a safra 2014/2015, as linhas do pré-custeio têm taxa média de 6,5% ao ano. Por causa do ajuste fiscal, o governo aumentou juros dos financiamentos subsidiados, como as linhas de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No entanto, a ministra não informou como ficarão as taxas para esta safra.

Produtores rurais e entidades como a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) vinham reclamando da demora na liberação dos recursos das linhas de pré-custeio. Tradicionalmente, o governo libera os empréstimos entre o fim de fevereiro até meados de março.

Fonte: Agrolink, com informações da Agência Brasil (escrita por Wellton Máximo; editada por Aécio Amado)