Kingsman corta em 27% previsão de excedente global de açúcar em 13/14

Imagem retirada de http://www.driving.ca/story.html?id=bc4ecf7a-f09c-4201-99b9-08016ff1ff23 Imagem retirada de http://www.driving.ca/story.html?id=bc4ecf7a-f09c-4201-99b9-08016ff1ff23

27/05/2013

Um excedente global de 4,591 milhões de toneladas de açúcar é esperado em 2013/14, cerca de 27 por cento a menos que estimativa anterior, por conta de uma demanda maior e uma menor produção em algumas áreas importantes, disse o analista Jonathan Kingsman nesta sexta-feira.

Mais de 2 milhões de toneladas de açúcar podem deixar de entrar no mercado, uma vez que os atuais preços baixos estão levando os produtores brasileiros, líder mundial na commodity, a produzir mais etanol, disse Kingsman à Reuters antes de uma conferência sobre açúcar em Cingapura.

"Nós estimamos a paridade do etanol entre 16,5 e 18 centavos de dólar", disse Kingsman, referindo-se ao nível no qual as usinas podem optar por produzir etanol a partir da cana.

"Nós acreditamos que com o mercado de açúcar em 16,50 centavos por libra-peso, os motoristas brasileiros serão capazes de absorver tanto etanol quanto a indústria puder produzir", disse Kingsman, que é diretor para dados agrícolas do provedor de informações Platts.

Os preços globais de açúcar caíram para cerca de três anos, de 16,56 centavos na quinta-feira, queda de 14 por cento até o momento neste ano, pela crescente preocupação com a crescente oferta.

Na estimativa de fevereiro, Kingsman havia estimado o superávit global em 6,28 milhões de toneladas para 2013/14, ante 10,31 milhões de toneladas do ano anterior, uma vez que alguns produtores devem deixar de produzir o açúcar devido à forte baixa nos preços.

Produção recua, demanda fortalece
Kingsman, cujas estimativas são baseadas em uma combinação dos anos safra de alguns países, estima que a produção global de 2013/14 recue para 177,015 milhões de toneladas, ante estimativa prévia de 178,656 milhões de toneladas e contra 181,030 milhões de toneladas de 2012/13.

A produção do Vietnã, Rússia, México, Estados Unidos e União Europeia está prevista para recuar ante um ano atrás, disse.

A produção da China, segundo maior consumidor mundial depois da Índia, foi estimada em 14,674 milhões de toneladas para 2013/14, queda de 380 mil toneladas ante projeção prévia e versus 14,350 milhões de toneladas em 2012/13.

Kingsman espera que a área de cana na China seja afetada uma vez que os produtores estão optando por outras culturas por conta dos preços decepcionantes da cana.

O consumo global deverá atingir 172,424 milhões de toneladas em 2013/14, acima da estimativa prévia de 172,373 milhões de toneladas e das 169,938 milhões de toneladas de 2012/13.

"A demanda está bem forte, um pouco mais forte do que esperávamos. Importações da Indonésia e China têm sido maiores do que o esperado", disse Kingsman.

A Indonésia, o maior importador global de açúcar bruto do mundo, deverá consumir 5,974 milhões de toneladas de açúcar em 2013/14, contra 5,809 milhões de toneladas em 2012/13.

"No mundo ocidental, passando pelo Oriente Médio e a região do Norte da África, incluindo Egito e Irã, as importações têm aumentado. Nós estamos vendo o que pode ser uma restocagem, ou aumento do consumo, mas nós não sabemos o que é no momento", disse Kingsman.

Fonte: Reuters