Milho é a cultura de maior expressão na safra 2011/12 em Mato Grosso

Imagem: Alexandre Jaeger Vendruscolo, SXC Imagem: Alexandre Jaeger Vendruscolo, SXC

06/08/2012

O milho segunda safra é a cultura de maior expressão da safra 2011/12, em Mato Grosso e mantém por mais um mês a perspectiva de superar o faturamento do algodão pela primeira vez na história local, passando a segunda mais importante do Estado. A produção que supera em 100% a colheita do ciclo anterior, de 6,99 milhões de toneladas para 14,23 milhões, é a única que expandiu produção e preço na mesma proporção. Como mostra a segunda estimativa de Valor Bruto da Produção (VBP), divulgada na sexta-feira (3) pelo Imea, a receita da cultura passará de R$ 2,25 bilhões para R$ 4,52 bilhões, incremento anual de 101%.

Carro-chefe da produção agrícola do Estado, a soja, irá fechar o ano com VBP de R$ 15,20 bilhões, 23,9% a mais que em 2011 quando encerrou com valor de R$ 12,26 bilhões. A pecuária crescerá 8,6%, encerrando o ano com valor bruto de R$ 6,67 bilhões enquanto que em 2011 este número foi de R$ 6,14 bilhões.

Das seis principais atividades agrícolas do Estado (soja, algodão, milho, cana, arroz e produtos florestais), apenas duas apresentam estimativas negativas em relação ao realizado em 2011. O algodão que teve um 2011 excepcional – preços e produção – tem estimado uma receita de R$ 4,31 bilhões ante R$ 4,60 bilhões, recuo de 6,4%. Na comparação anual, a arroba da pluma passou de R$ 129,88 para R$ 47,98, queda de 63%. O arroz é a outra cultura com VBP negativo. A receita passará de R$ 407,06 milhões para R$ 262,91 milhões, perda de 35,4%. A cana-de-açúcar e produtos florestais terão faturamento 7,5% e 13,2% superiores ao registrado no ano passado.

Segundo o gestor do Imea, Daniel Latorraca, algumas alterações no mercado das commodities entre junho e julho, principalmente os recordes de preços da soja, modificaram as projeções feitas anteriormente. “O VBP é baseado em três variáveis: produção, preço e comercialização. Muitas mudanças marcaram o cenário da soja e do milho neste período, como a quebra da safra norte-americana que acirrou o apetite do mercado externo dentro de uma conjuntura de demanda mundial já aquecida em função dos baixos estoques”.

Mato Grosso, maior produtor de soja, algodão, milho segunda safra e detentor do maior rebanho de bovinos do Brasil, colheu por mais um ano uma nova safra recorde de soja, 21,36 milhões de toneladas de soja e pode ainda atingir algo muito próximo de 15 milhões de toneladas de milho, como reforça Latorraca.

O gestor destaca ainda que 57,5% da safra 2012/2013 de soja, que só começa a ser plantada a partir da segunda quinzena de setembro, estão comercializadas e a preços médio que superam em cerca de R$ 10 os contratos futuros que foram fechados na mesma época do ano passado para entrega da safra 2011/12 a partir de março deste ano.

Fonte: Diário de Cuiabá