Moagem até o final de outubro atinge 455,56 milhões de t no Centro-Sul

Imagem: Jesuino Souza, SXC Imagem: Jesuino Souza, SXC

09/11/2012

O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil totalizou 36,21 milhões de toneladas na segunda metade de outubro, alta de 56,54% em relação à mesma quinzena de 2011 (23,13 milhões de toneladas). No acumulado desde o início da safra 2012/2013 até 31 de outubro, a moagem somou 455,56 milhões de toneladas, frente às 460,16 milhões de toneladas registradas em idêntico período do ano anterior.

Para o presidente interino da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, “embora ainda exista um déficit na quantidade de cana processada na safra atual comparativamente à passada, esta defasagem vem se reduzindo e nesta quinzena caiu para apenas 4,60 milhões de toneladas”. Segundo o executivo, o ritmo de moagem observado até o momento está em linha com o cenário utilizado na projeção revisada da safra 2012/2013, divulgada pela entidade em setembro. Ratifica, portanto, a estimativa da UNICA que aponta para 518,50 milhões de toneladas de cana-de-açúcar processadas na mencionada safra.

Além das condições climáticas favoráveis à colheita, a moagem verificada nos últimos 15 dias de outubro foi favorecida também pelo maior número de empresas em operação relativamente a igual período de 2011. Até o final de outubro deste ano somente 19 usinas haviam encerrado a safra, número significativamente inferior às 97 unidades apuradas até a mesma data do ano anterior.

Em relação à produtividade agrícola, de acordo com o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), esta aumentou 20,70% em outubro quando comparada ao mesmo mês de 2011, atingindo 72,80 toneladas de cana-de-açúcar por hectare este ano. No acumulado desde o início da safra 2012/2013, a produtividade do canavial colhido na região Centro-Sul alcançou 74,70 toneladas por hectare, contra 69,20 toneladas por hectare computadas em idêntico período do ano passado.

Qualidade da matéria-prima
A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar atingiu 144,64 kg na segunda quinzena de outubro, alta de 4,56% em relação aos 138,34 kg observados na mesma quinzena de 2011.

No acumulado desde o início da safra até 31 de outubro, a concentração de ATR alcançou 135,92 kg por tonelada de matéria-prima, retração de 1,30% comparando-se ao mesmo período do último ano.

Mix e produção de açúcar e etanol
Do volume total de cana-de-açúcar processado na segunda quinzena de outubro, 51,19% direcionou-se à produção de açúcar, proporção praticamente idêntica àquela observada nos primeiros 15 dias deste mês (51,40%).

Com isso, a fabricação de açúcar na última metade de outubro totalizou 2,55 milhões de toneladas, recuo de 8,46% em relação ao volume processado na primeira quinzena do mês e alta de 73,01% comparativamente aos 1,48 milhão de toneladas registrados no mesmo período da safra 2011/2012. No acumulado desde o inicio da safra até 31 de outubro, a produção de açúcar somou 29,34 milhões de toneladas, valor praticamente idêntico ao observado em igual período do ano anterior (29,31 milhões de toneladas).

O presidente interino da UNICA esclarece que “a manutenção do mix de produção na segunda quinzena de outubro só foi possível devido ao atraso das chuvas, pois o nível de precipitação pluviométrica registrado nas principais regiões canavieiras foi relativamente baixo durante este período”. Contudo, esse cenário deve se alterar nas próximas quinzenas: “com o retorno das chuvas a expectativa é de queda no nível de ATR e maior dificuldade para a produção de açúcar”, concluiu o executivo.

A produção de etanol, por sua vez, alcançou 1,49 bilhão de litros nos últimos 15 dias de outubro, sendo 689,79 milhões de litros de etanol anidro e 805,43 milhões de litros de etanol hidratado. No acumulado desde o inicio da safra até a presente quinzena, o volume produzido de etanol atingiu 18,24 bilhões de litros, dos quais 10,81 bilhões de litros de etanol hidratado e 7,44 bilhões de litros de etanol anidro.

Em relação ao etanol anidro, o ritmo de produção observado na última metade de outubro permaneceu nos mesmos patamares das quinzenas anteriores, com rendimento superior a 19 litros do produto por tonelada de cana.

Segundo Rodrigues, “o volume de etanol anidro disponível nas unidades produtoras, somado aquele que ainda será produzido até o final desta safra, é suficiente para garantir a mistura obrigatória na gasolina durante toda a entressafra”. Não existe, portanto, nenhum problema de abastecimento associado à disponibilidade de etanol anidro no País, acrescentou o executivo.

Vendas
As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram 2,16 bilhões de litros em outubro, 21,25% acima do volume registrado no mesmo período de 2011. Deste total, 17,70% (383,10 milhões de litros) destinaram-se as exportações e 1,78 bilhão de litros ao mercado interno.

Do montante direcionado ao abastecimento do mercado doméstico, 666,05 milhões de litros referem-se ao etanol anidro, 19,53% superior ao observado em outubro de 2011. As vendas de etanol hidratado seguiram a mesma tendência de crescimento e totalizaram 1,12 bilhão de litros, frente aos 987,14 milhões de litros observados no mesmo período do ano passado.

No acumulado de abril até 31 de outubro, as vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram 12,83 bilhões de litros, volume semelhante aos 12,90 bilhões de litros registrados no mesmo período de 2011. Deste volume, 5,43 bilhões de litros correspondem ao etanol anidro e 7,40 bilhões de litros de etanol hidratado.

Do volume total de etanol comercializado desde o inicio da safra até o final do mês de outubro, 10,68 bilhões de litros foram direcionados ao mercado interno e 2,15 bilhões de litros às exportações.

Fonte: Unica