Na Fenasucro, setor sucroenergético pede aprovação do RenovaBio

Imagem: Gilberto Marques/A2img Imagem: Gilberto Marques/A2img

23/08/2017

O primeiro dia de exposições da Fenasucro, em Sertãozinho, nesta terça-feira, 22, ficou marcado por pedidos do setor sucroenergético para aprovação do programa RenovaBio, do Governo Federal, cujo objetivo é expandir a produção de biocombustíveis no País. A abertura do evento contou com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

O diretor da Datagro, Guilherme Nastari, disse que a aprovação do RenovaBio no Congresso Nacional seria a quarta onda de expansão do setor sucroenergético, o que garantiria a saída definitiva da crise que atinge o setor, que se arrasta desde 2009. A aprovação representaria uma reforma na política de biocombustíveis no país, em busca do alcance das metas propostas no Acordo de Paris, impulsionando a demanda por combustíveis com baixa emissão de CO2 (gás carbônico). "Certamente é o estopim para o Brasil valorizar o etanol e combustíveis com baixa pegada de carbono", disse Nastari.

A presidente da União Nacional de Cana de Açúcar (Unica), Elizabeth Farina, afirmou que o RenovaBio significa a expansão da produção de etanol e surgimento de novos empreendimentos e usinas, gerando mais investimentos ao setor. "É o reconhecimento de um setor essencial. É mais do que um projeto, é o mundo que queremos deixar para os nossos filhos e reverter o cenário da crise", comentou Elizabeth.
 
O governador Geraldo Alckmin, que afirmou que a situação do setor já está melhor do que em anos anteriores, disse que tem preocupação com a questão, tanto que já assinou o RenovaBio, e vai se reunir com outros governadores para fortalecer a medida.

"A questão das mudanças climáticas está aqui. E somos mestres em questão de energia limpa e renovável. Queremos a ampliação e fortalecer a energia limpa", disse que o governador, que afirmou que isso contribuirá com o meio ambiente e com a geração de empregos no Estado.

fonte: Revide, escrita por Rafael Cautella