Preço do algodão valoriza 29% em Mato Grosso

Imagem retirada de http://www.agrolink.com.br/noticias/preco-do-algodao-valoriza-29--em-mato-grosso_168019.html Imagem retirada de http://www.agrolink.com.br/noticias/preco-do-algodao-valoriza-29--em-mato-grosso_168019.html

25/03/2013

Cotação do algodão segue com tendência de alta e acumula 29,4% de aumento nos últimos 12 meses, sendo vendido atualmente por uma média de R$ 70 (arroba) no Estado, ante R$ 49 no mesmo período do ano passado. Para o caroço de algodão a valorização é ainda maior, chegando a 44% nos últimos 30 dias, quando subiu de R$ 450 a tonelada para R$ 650/t, afirma o diretor-executivo do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMA), Álvaro Salles, durante workshop em Cuiabá, onde foi discutida a qualidade do algodão produzido no Estado.

Levantamento realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) mostra que a variação mensal na cotação da pluma foi de 12,9% e na semana passada foi negociada pelo preço médio de R$ 63,23/arroba. Quanto ao valor do caroço de algodão, o Imea apurou que a variação anual do produto foi de 83%, período em que oscilou de R$ 314 a tonelada para a média atual de R$ 575 (t). Apesar da valorização, o preço atual da pluma ainda está menor do que na safra anterior, diz Salles. “Neste ano a pluma do algodão chegou a valer R$ 50 (arroba)”. Oscilações na cotação do produto impulsionaram os cotonicultores a cobrar do governo federal a definição de um preço mínimo para a cultura, que idealmente deveria variar entre R$ 60 a R$ 65 a arroba da pluma, avalia o diretor do IMA. Acrescenta que os representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) foram sensíveis às reivindicações, mas lembra que a recente mudança ministerial irá adiar uma decisão sobre o assunto.

Custos
Na safra 2012/2013 os custos subiram em média 15%, impactados principalmente pelo preço do óleo diesel e mão de obra, alcançando a média de R$ 2,8 mil por hectare apenas com o custo operacional, afirma o diretor do IMA. Na expectativa de garantir melhor rentabilidade, muitos produtores diminuíram a área plantada com algodão e investiram mais no cultivo da soja e do milho, como é o caso de Gustavo Vigano Pícoli, que reduziu em 33% ou 1,5 mil hectare a área ocupada na última safra com a cultura, mantendo 3 mil (ha) neste ano na região de Sorriso. “Investir em soja e milho estava mais interessante”.

Em Mato Grosso a área plantada com algodão reduz em 37% na safra 2012/2013 conforme levantamento do Imea e ocupa cerca de 300 mil hectares. Produção de algodão em pluma deve diminuir cerca de 43,6% e alcançar aproximadamente 614,785 mil toneladas nesta temporada agrícola. Nacionalmente o recuo na produção apontado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) chega a 26% em relação à safra anterior, com previsão de que sejam produzidas 1,4 milhão de toneladas da pluma. Além dos preços em patamares mais baixos à época do plantio, as condições climáticas interferiram na produção. Em Mato Grosso o excesso de chuvas atrasou a colheita da soja e semeadura do algodão. Na região Nordeste o problema foi desencadeado pela seca.

Fonte: Gazeta de Maringá