Preço sobe, e receita externa do agronegócio melhora

Imagem retirada de http://agrocontar.com.br/agroblog/?p=137 Imagem retirada de http://agrocontar.com.br/agroblog/?p=137

03/08/2016

O desempenho dos produtos básicos, principalmente os do setor agropecuário, ficou acima do que se esperava nos sete primeiros meses deste ano na balança comercial brasileira.

Recuperação parcial de preços externos e volumes maiores exportados em diversos segmentos renderam mais ao país.

Já minério de ferro e petróleo, devido à não recuperação dos preços, continuam com desempenho inferior ao de igual período de 2015.

A soja, o principal item da balança comercial, obteve, em julho, preço 10% superior ao de igual período de 2015.

Com a recuperação de preços, a receita acumulada no ano soma US$ 16,3 bilhões, superando em 4% a de igual período do ano passado.

O aumento das receitas ocorre também devido à aceleração do volume exportado. Saíram 44,4 milhões de toneladas de soja em grão do país, 9% mais do que em igual período de 2015, segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Volume e recuperação de preços permitiram ao complexo soja (grão, farelo e óleo) atingir US$ 20 bilhões de receitas neste ano.

O açúcar também é outro destaque do setor agropecuário da balança comercial. O volume de açúcar do tipo bruto exportado em julho supera em 15% o de igual mês de 2015. Já o de açúcar refinado avançou 33%.

A recuperação da produção brasileira e a melhora dos preços externos -devido à volta do deficit entre oferta e demanda- fizeram com que a commodity rendesse US$ 5 bilhões neste ano, 16% mais do que de janeiro a julho do ano passado.

O milho, produto que entrou na lista dos mais exportados nos dois últimos anos, soma 13,3 milhões de toneladas até julho, 102% mais.

As receitas deste ano com o cereal já somam US$ 2,2 bilhões, 83% mais do que as de janeiro a julho de 2015.

O câmbio favorável impulsionou também as vendas externas de etanol. As receitas com as exportações somam US$ 590 milhões, 59% mais do que as de janeiro a julho do ano passado, segundo os dados da Secex.

fonte: Udop, com informações da Folha de S.Paulo (escrita por Mauro Zafalon)