Produção de cana tem crescimento de 8,2% na região Centro-Sul

Imagem: Jesuino Souza, SXC Imagem: Jesuino Souza, SXC

14/12/2012

Confirmada a expectativa de produção da região Centro-Sul de cana-de-açúcar safra 2012/2013 de 535,4 milhões de toneladas, incremento de 8,2% em relação à safra anterior. De acordo com o diretor de Política Agrícola e Informações da Companhia Nacional de Abastecimento, Sílvio Porto, “na estimativa anterior já havíamos percebido que havia uma perspectiva de rendimento superior ao ano passado e aqui há uma confirmação”. O anúncio foi realizado na quarta-feira (12) durante o 3º levantamento da safra de cana-de-açúcar, em Brasília.
Os canaviais na região Centro-Sul tiveram uma recuperação e produtividade superiores ao do ano passado. Apesar da estiagem no início da safra, houve regularidade das chuvas ao longo do ano.
Já o Nordeste sofreu com a estiagem que chegou a Zona da Mata e afetou a produção da cana. Técnicos do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) visitarão, na semana que vem, áreas atingidas pela seca a fim de tomarem medidas de apoio.
“O cenário da próxima safra para o Centro-Sul é ainda melhor do que a deste ano e estamos também com uma situação mais favorável para o Nordeste, com regularidade das chuvas”, salienta Porto.
O diretor de Cana-de-açúcar e Agroenergia do Mapa, Cid Caldas, que também esteve presente no anúncio da safra de cana, disse que a região do Nordeste teve uma produção maior de açúcar por causa da rentabilidade do produto e isso não afetará o abastecimento de etanol. “O incremento na produção de açúcar se deve fundamentalmente ao preço e isso já vem ocorrendo há três anos. A diminuição da safra do Nordeste não afetará o abastecimento do etanol, pois o mesmo está garantido para os consumidores”, afirma. A produção nordestina representa 10% da produção de cana da safra brasileira.
No próximo calendário do ano-safra da cana haverá alteração na metodologia conforme levantamento realizado pela Conab. Será aperfeiçoada a coleta de dados para o levantamento da colheita. O corte da safra do Nordeste se prolonga até março e isso será incorporando ao ano-safra. “Nós vamos fechar esta safra no levantamento de março, porque teremos ainda o final do corte para o Nordeste e o Centro-Sul, pois neste as usinas ainda estão cortando em função das condições favoráveis de clima”, complementa o diretor da Conab.
Confirmada a expectativa de produção da região Centro-Sul de cana-de-açúcar safra 2012/2013 de 535,4 milhões de toneladas, incremento de 8,2% em relação à safra anterior. De acordo com o diretor de Política Agrícola e Informações da Companhia Nacional de Abastecimento, Sílvio Porto, “na estimativa anterior já havíamos percebido que havia uma perspectiva de rendimento superior ao ano passado e aqui há uma confirmação”. O anúncio foi realizado na quarta-feira (12) durante o 3º levantamento da safra de cana-de-açúcar, em Brasília.

Os canaviais na região Centro-Sul tiveram uma recuperação e produtividade superiores ao do ano passado. Apesar da estiagem no início da safra, houve regularidade das chuvas ao longo do ano.

Já o Nordeste sofreu com a estiagem que chegou a Zona da Mata e afetou a produção da cana. Técnicos do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) visitarão, na semana que vem, áreas atingidas pela seca a fim de tomarem medidas de apoio.

“O cenário da próxima safra para o Centro-Sul é ainda melhor do que a deste ano e estamos também com uma situação mais favorável para o Nordeste, com regularidade das chuvas”, salienta Porto.

O diretor de Cana-de-açúcar e Agroenergia do Mapa, Cid Caldas, que também esteve presente no anúncio da safra de cana, disse que a região do Nordeste teve uma produção maior de açúcar por causa da rentabilidade do produto e isso não afetará o abastecimento de etanol. “O incremento na produção de açúcar se deve fundamentalmente ao preço e isso já vem ocorrendo há três anos. A diminuição da safra do Nordeste não afetará o abastecimento do etanol, pois o mesmo está garantido para os consumidores”, afirma. A produção nordestina representa 10% da produção de cana da safra brasileira.

No próximo calendário do ano-safra da cana haverá alteração na metodologia conforme levantamento realizado pela Conab. Será aperfeiçoada a coleta de dados para o levantamento da colheita. O corte da safra do Nordeste se prolonga até março e isso será incorporando ao ano-safra. “Nós vamos fechar esta safra no levantamento de março, porque teremos ainda o final do corte para o Nordeste e o Centro-Sul, pois neste as usinas ainda estão cortando em função das condições favoráveis de clima”, complementa o diretor da Conab.

Fonte: Conab