Produtores replantam milho após volta da chuva no RS, diz Emater

10/02/2012


O relatório conjuntural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RS), publicado nesta quinta-feira (9), aponta que após os registros de chuva nos últimos dias no Rio Grande do Sul, agricultores aproveitaram para plantar milho pela segunda vez, na tentativa de amenizar os prejuízos com a safra normal. Porém, em vários municípios, as precipitações não foram suficientes para possibilitar condições de semeadura.

Em alguns casos, o milho semeado na ocasião até germinou, mas com a continuidade da estiagem, o desenvolvimento das lavouras acabou apresentando problemas. Na maioria das plantações atingidas pela estiagem, os agricultores cortaram o milho para silagem, porém, o material é de baixa qualidade. A colheita da cultura já atinge 25% da área, com outros 18% estão maduros, 28% em enchimento de grãos, 14% em floração e 15% em desenvolvimento vegetativo.

Arroz
Nesta semana produtores começaram a colheita do arroz. Em São Borja, a produtividade média está estimada em 6.777 kg/ha. No momento, a cultura possui 30% da área em desenvolvimento vegetativo, 43% em floração, 23% em enchimento de grão e 3% maduras. O desenvolvimento e a sanidade da maioria das lavouras estão normais, mas há pouca água em muitos arroios e sangas e muitas barragens estão com nível baixo. A falta de água já está comprometendo algumas áreas que ainda não foram irrigadas de maneira adequada, uma vez que deveriam estar com lâmina de água definitiva. As chuvas da última semana ajudaram os rios e riachos a aumentar o volume de água, o que poderá dar uma sobrevida a essas áreas.

Soja
O desenvolvimento da soja é prejudicado na proporção direta pela falta de chuvas. Muitas lavouras estão na fase de floração (50% do total) com porte reduzido. As demais se dividem em 34% em enchimento de grãos e 16% em desenvolvimento vegetativo. Nos cultivos do tarde, que estão com porte muito baixo e com falhas na germinação, a recuperação deverá ser menor mesmo que volte a chover mais intensamente, e irá depender, também, da não ocorrência de frio no outono. A falta de chuvas favorece a ataques mais intensos de ácaros e trips (insetos pequenos) e, em menor intensidade, de lagartas.

Fonte: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/estiagem/noticia/2012/02/produtores-replantam-milho-apos-volta-da-chuva-no-rs-diz-emater.html