Safra de milho cresce e rivaliza com colheita de soja

Imagem: Alexandre Jaeger Vendruscolo, SXC Imagem: Alexandre Jaeger Vendruscolo, SXC

04/04/2012

A safra de soja do Brasil 2011/12 foi estimada nessa terça-feira em 65,2 milhões de toneladas pela Agroconsult, o que representa uma queda de cerca de 10 milhões de toneladas na comparação com a temporada anterior, por conta da seca que atingiu principalmente o Sul do país.
Por outro lado, a Agroconsult elevou a previsão de colheita milho do Brasil, que pode atingir um recorde e rivalizar com o volume de produção de soja, tradicionalmente a principal cultura do país. Mas isso ainda dependerá do desempenho da segunda safra do cereal, que precisa contar com boas condições climáticas para o seu desenvolvimento.
Até o mês passado, a consultoria estimava a safra de soja do Brasil em 67,1 milhões de toneladas. Mas as condições das lavouras se deterioraram mais desde então, e Estados do Sul viram uma das piores secas afetarem suas lavouras.
"Para muitos produtores gaúchos, a seca deste ano foi pior que a de 2005. Aquela foi só no final (da temporada). Esta foi o tempo inteiro", disse André Pessôa, diretor da Agroconsult a jornalistas, durante a divulgação dos levantamentos.
A consultoria prevê que o Rio Grande do Sul, tradicionalmente o terceiro produtor de soja do Brasil, deve ter uma produtividade média de 20 sacas por hectare, menos da metade do recorde de 47 sacas por hectare da temporada anterior.
Outro problema apontado pelo consultor é que as lavouras gaúchas estão apresentando grãos miúdos e de baixa qualidade, após alta incidência de pragas na temporada.
Situação semelhante foi registrada no Paraná (segundo produtor de soja do Brasil), em Santa Catarina e no sul de Mato Grosso do Sul.
"Esta é uma safra de contrastes, de situações climáticas muito distintas entre regiões e mesmo intraregiões", acrescentou.
A nova previsão foi feita com base em informações coletadas pelas equipes integrantes do Rally da Safra, expedição técnica que percorreu mais de 60 mil quilômetros nas regiões produtoras brasileiras.
Na temporada passada, o Brasil (segundo produtor global atrás dos Estados Unidos) colheu um recorde de mais de 75 milhões de toneladas.
O Centro-Oeste, por outro lado, está finalizando a colheita de uma boa safra de soja. A maior produtividade média do país será registrada em Goiás, com 54 sacas por hectare, ante 52 sacas na colheita anterior, apontou o levantamento do Rally da Safra, organizado pela Agroconsult.
Em Mato Grosso, o maior produtor nacional de soja, a produtividade deve ficar estável em 53 sacas por hectare, com o fungo da ferrugem limitando o crescimento da colheita.
Para o Estado, a Agroconsult aponta uma produção recorde de 20,4 milhões de toneladas de soja.
A colheita de soja está na fase final no Brasil, restando cerca de 25 por cento das áreas para serem colhidas.
MAIS MILHO QUE SOJA?
Já a safra de milho do Brasil 2011/12 foi estimada em um recorde de 64,6 milhões de toneladas pela Agroconsult, contra a previsão anterior de 63,7 milhões de toneladas e ante 57,4 milhões da temporada passada.
A estimativa de produção de milho poderia ter sido maior não fosse a seca que afetou também a safra de verão, já que o Brasil voltou a ampliar a área plantada, investindo bastante em tecnologia, especialmente em sementes transgênicas.
A primeira safra de milho foi estimada em 36,5 milhões de toneladas, ante 40 milhões de toneladas inicialmente. Já a segunda safra está estimada em 28,1 milhões de toneladas.
Segundo a consultoria, dependendo da produtividade obtida na segunda safra, a colheita de milho poderá superar a combalida produção de soja em 11/12.
A previsão maior de milho foi feita com base em um crescimento do plantio em Mato Grosso, que poderá plantar um recorde de 2,4 milhões de hectares -a semeadura da chamada "safrinha" está finalizada no Brasil, segundo a Agroconsult.
"Como está seguindo a safra de milho, poderá superar a de soja, não será surpresa, se as estatísticas mostrarem que o milho retomou a liderança na produção (de grãos)", disse ele, acrescentando que pelo há duas décadas essa possibilidade não existia.
Pessôa considera que esse cenário de aumento da produção de milho deve ser sustentado ao longo dos próximos anos. "Do ponto de vista tecnológico, a safra de milho caminha para produtividades melhores."
Eles disse ainda que os preços devem permanecer suficientemente altos para dar sustentabilidade a esse crescimento, mesmo com a grande safra esperada nos Estados Unidos em 2012, já que a produção norte-americana contribuirá apenas para a recomposição dos estoques, não deixando-os ainda em níveis confortáveis.
A Agroconsult ressalta também que existe mercado na suinocultura e na avicultura do Brasil para absorver o aumento da produção de milho. Além disso, o consultor avalia que o Brasil deverá se beneficiar da entrada da China como grande importador do cereal.
O analista prevê exportação de milho do Brasil neste ano em 11 milhões de toneladas, ante 9 milhões de toneladas em 2011. 
A safra de soja do Brasil 2011/12 foi estimada nessa terça-feira em 65,2 milhões de toneladas pela Agroconsult, o que representa uma queda de cerca de 10 milhões de toneladas na comparação com a temporada anterior, por conta da seca que atingiu principalmente o Sul do país.
Por outro lado, a Agroconsult elevou a previsão de colheita milho do Brasil, que pode atingir um recorde e rivalizar com o volume de produção de soja, tradicionalmente a principal cultura do país. Mas isso ainda dependerá do desempenho da segunda safra do cereal, que precisa contar com boas condições climáticas para o seu desenvolvimento.
Até o mês passado, a consultoria estimava a safra de soja do Brasil em 67,1 milhões de toneladas. Mas as condições das lavouras se deterioraram mais desde então, e Estados do Sul viram uma das piores secas afetarem suas lavouras.
"Para muitos produtores gaúchos, a seca deste ano foi pior que a de 2005. Aquela foi só no final (da temporada). Esta foi o tempo inteiro", disse André Pessôa, diretor da Agroconsult a jornalistas, durante a divulgação dos levantamentos.
A consultoria prevê que o Rio Grande do Sul, tradicionalmente o terceiro produtor de soja do Brasil, deve ter uma produtividade média de 20 sacas por hectare, menos da metade do recorde de 47 sacas por hectare da temporada anterior.
Outro problema apontado pelo consultor é que as lavouras gaúchas estão apresentando grãos miúdos e de baixa qualidade, após alta incidência de pragas na temporada.
Situação semelhante foi registrada no Paraná (segundo produtor de soja do Brasil), em Santa Catarina e no sul de Mato Grosso do Sul.
"Esta é uma safra de contrastes, de situações climáticas muito distintas entre regiões e mesmo intraregiões", acrescentou.
A nova previsão foi feita com base em informações coletadas pelas equipes integrantes do Rally da Safra, expedição técnica que percorreu mais de 60 mil quilômetros nas regiões produtoras brasileiras.
Na temporada passada, o Brasil (segundo produtor global atrás dos Estados Unidos) colheu um recorde de mais de 75 milhões de toneladas.
O Centro-Oeste, por outro lado, está finalizando a colheita de uma boa safra de soja. A maior produtividade média do país será registrada em Goiás, com 54 sacas por hectare, ante 52 sacas na colheita anterior, apontou o levantamento do Rally da Safra, organizado pela Agroconsult.
Em Mato Grosso, o maior produtor nacional de soja, a produtividade deve ficar estável em 53 sacas por hectare, com o fungo da ferrugem limitando o crescimento da colheita.
Para o Estado, a Agroconsult aponta uma produção recorde de 20,4 milhões de toneladas de soja.
A colheita de soja está na fase final no Brasil, restando cerca de 25 por cento das áreas para serem colhidas.
MAIS MILHO QUE SOJA?
Já a safra de milho do Brasil 2011/12 foi estimada em um recorde de 64,6 milhões de toneladas pela Agroconsult, contra a previsão anterior de 63,7 milhões de toneladas e ante 57,4 milhões da temporada passada.
A estimativa de produção de milho poderia ter sido maior não fosse a seca que afetou também a safra de verão, já que o Brasil voltou a ampliar a área plantada, investindo bastante em tecnologia, especialmente em sementes transgênicas.
A primeira safra de milho foi estimada em 36,5 milhões de toneladas, ante 40 milhões de toneladas inicialmente. Já a segunda safra está estimada em 28,1 milhões de toneladas.
Segundo a consultoria, dependendo da produtividade obtida na segunda safra, a colheita de milho poderá superar a combalida produção de soja em 11/12.
A previsão maior de milho foi feita com base em um crescimento do plantio em Mato Grosso, que poderá plantar um recorde de 2,4 milhões de hectares -a semeadura da chamada "safrinha" está finalizada no Brasil, segundo a Agroconsult.
"Como está seguindo a safra de milho, poderá superar a de soja, não será surpresa, se as estatísticas mostrarem que o milho retomou a liderança na produção (de grãos)", disse ele, acrescentando que pelo há duas décadas essa possibilidade não existia.
Pessôa considera que esse cenário de aumento da produção de milho deve ser sustentado ao longo dos próximos anos. "Do ponto de vista tecnológico, a safra de milho caminha para produtividades melhores."
Eles disse ainda que os preços devem permanecer suficientemente altos para dar sustentabilidade a esse crescimento, mesmo com a grande safra esperada nos Estados Unidos em 2012, já que a produção norte-americana contribuirá apenas para a recomposição dos estoques, não deixando-os ainda em níveis confortáveis.
A Agroconsult ressalta também que existe mercado na suinocultura e na avicultura do Brasil para absorver o aumento da produção de milho. Além disso, o consultor avalia que o Brasil deverá se beneficiar da entrada da China como grande importador do cereal.
O analista prevê exportação de milho do Brasil neste ano em 11 milhões de toneladas, ante 9 milhões de toneladas em 2011. 
A safra de soja do Brasil 2011/12 foi estimada nessa terça-feira em 65,2 milhões de toneladas pela Agroconsult, o que representa uma queda de cerca de 10 milhões de toneladas na comparação com a temporada anterior, por conta da seca que atingiu principalmente o Sul do país.

Por outro lado, a Agroconsult elevou a previsão de colheita milho do Brasil, que pode atingir um recorde e rivalizar com o volume de produção de soja, tradicionalmente a principal cultura do país. Mas isso ainda dependerá do desempenho da segunda safra do cereal, que precisa contar com boas condições climáticas para o seu desenvolvimento.

Até o mês passado, a consultoria estimava a safra de soja do Brasil em 67,1 milhões de toneladas. Mas as condições das lavouras se deterioraram mais desde então, e Estados do Sul viram uma das piores secas afetarem suas lavouras.

"Para muitos produtores gaúchos, a seca deste ano foi pior que a de 2005. Aquela foi só no final (da temporada). Esta foi o tempo inteiro", disse André Pessôa, diretor da Agroconsult a jornalistas, durante a divulgação dos levantamentos.

A consultoria prevê que o Rio Grande do Sul, tradicionalmente o terceiro produtor de soja do Brasil, deve ter uma produtividade média de 20 sacas por hectare, menos da metade do recorde de 47 sacas por hectare da temporada anterior.

Outro problema apontado pelo consultor é que as lavouras gaúchas estão apresentando grãos miúdos e de baixa qualidade, após alta incidência de pragas na temporada.

Situação semelhante foi registrada no Paraná (segundo produtor de soja do Brasil), em Santa Catarina e no sul de Mato Grosso do Sul.

"Esta é uma safra de contrastes, de situações climáticas muito distintas entre regiões e mesmo intraregiões", acrescentou.

A nova previsão foi feita com base em informações coletadas pelas equipes integrantes do Rally da Safra, expedição técnica que percorreu mais de 60 mil quilômetros nas regiões produtoras brasileiras.

Na temporada passada, o Brasil (segundo produtor global atrás dos Estados Unidos) colheu um recorde de mais de 75 milhões de toneladas.

O Centro-Oeste, por outro lado, está finalizando a colheita de uma boa safra de soja. A maior produtividade média do país será registrada em Goiás, com 54 sacas por hectare, ante 52 sacas na colheita anterior, apontou o levantamento do Rally da Safra, organizado pela Agroconsult.

Em Mato Grosso, o maior produtor nacional de soja, a produtividade deve ficar estável em 53 sacas por hectare, com o fungo da ferrugem limitando o crescimento da colheita.

Para o Estado, a Agroconsult aponta uma produção recorde de 20,4 milhões de toneladas de soja.

A colheita de soja está na fase final no Brasil, restando cerca de 25 por cento das áreas para serem colhidas.

MAIS MILHO QUE SOJA?
Já a safra de milho do Brasil 2011/12 foi estimada em um recorde de 64,6 milhões de toneladas pela Agroconsult, contra a previsão anterior de 63,7 milhões de toneladas e ante 57,4 milhões da temporada passada.

A estimativa de produção de milho poderia ter sido maior não fosse a seca que afetou também a safra de verão, já que o Brasil voltou a ampliar a área plantada, investindo bastante em tecnologia, especialmente em sementes transgênicas.

A primeira safra de milho foi estimada em 36,5 milhões de toneladas, ante 40 milhões de toneladas inicialmente. Já a segunda safra está estimada em 28,1 milhões de toneladas.

Segundo a consultoria, dependendo da produtividade obtida na segunda safra, a colheita de milho poderá superar a combalida produção de soja em 11/12.

A previsão maior de milho foi feita com base em um crescimento do plantio em Mato Grosso, que poderá plantar um recorde de 2,4 milhões de hectares -a semeadura da chamada "safrinha" está finalizada no Brasil, segundo a Agroconsult.

"Como está seguindo a safra de milho, poderá superar a de soja, não será surpresa, se as estatísticas mostrarem que o milho retomou a liderança na produção (de grãos)", disse ele, acrescentando que pelo há duas décadas essa possibilidade não existia.

Pessôa considera que esse cenário de aumento da produção de milho deve ser sustentado ao longo dos próximos anos. "Do ponto de vista tecnológico, a safra de milho caminha para produtividades melhores."

Eles disse ainda que os preços devem permanecer suficientemente altos para dar sustentabilidade a esse crescimento, mesmo com a grande safra esperada nos Estados Unidos em 2012, já que a produção norte-americana contribuirá apenas para a recomposição dos estoques, não deixando-os ainda em níveis confortáveis.

A Agroconsult ressalta também que existe mercado na suinocultura e na avicultura do Brasil para absorver o aumento da produção de milho. Além disso, o consultor avalia que o Brasil deverá se beneficiar da entrada da China como grande importador do cereal.

O analista prevê exportação de milho do Brasil neste ano em 11 milhões de toneladas, ante 9 milhões de toneladas em 2011. 

A safra de soja do Brasil 2011/12 foi estimada nessa terça-feira em 65,2 milhões de toneladas pela Agroconsult, o que representa uma queda de cerca de 10 milhões de toneladas na comparação com a temporada anterior, por conta da seca que atingiu principalmente o Sul do país.

Por outro lado, a Agroconsult elevou a previsão de colheita milho do Brasil, que pode atingir um recorde e rivalizar com o volume de produção de soja, tradicionalmente a principal cultura do país. Mas isso ainda dependerá do desempenho da segunda safra do cereal, que precisa contar com boas condições climáticas para o seu desenvolvimento.

Até o mês passado, a consultoria estimava a safra de soja do Brasil em 67,1 milhões de toneladas. Mas as condições das lavouras se deterioraram mais desde então, e Estados do Sul viram uma das piores secas afetarem suas lavouras.

"Para muitos produtores gaúchos, a seca deste ano foi pior que a de 2005. Aquela foi só no final (da temporada). Esta foi o tempo inteiro", disse André Pessôa, diretor da Agroconsult a jornalistas, durante a divulgação dos levantamentos.

A consultoria prevê que o Rio Grande do Sul, tradicionalmente o terceiro produtor de soja do Brasil, deve ter uma produtividade média de 20 sacas por hectare, menos da metade do recorde de 47 sacas por hectare da temporada anterior.
Outro problema apontado pelo consultor é que as lavouras gaúchas estão apresentando grãos miúdos e de baixa qualidade, após alta incidência de pragas na temporada.

Situação semelhante foi registrada no Paraná (segundo produtor de soja do Brasil), em Santa Catarina e no sul de Mato Grosso do Sul.

"Esta é uma safra de contrastes, de situações climáticas muito distintas entre regiões e mesmo intraregiões", acrescentou.

A nova previsão foi feita com base em informações coletadas pelas equipes integrantes do Rally da Safra, expedição técnica que percorreu mais de 60 mil quilômetros nas regiões produtoras brasileiras.

Na temporada passada, o Brasil (segundo produtor global atrás dos Estados Unidos) colheu um recorde de mais de 75 milhões de toneladas.

O Centro-Oeste, por outro lado, está finalizando a colheita de uma boa safra de soja. A maior produtividade média do país será registrada em Goiás, com 54 sacas por hectare, ante 52 sacas na colheita anterior, apontou o levantamento do Rally da Safra, organizado pela Agroconsult.

Em Mato Grosso, o maior produtor nacional de soja, a produtividade deve ficar estável em 53 sacas por hectare, com o fungo da ferrugem limitando o crescimento da colheita.

Para o Estado, a Agroconsult aponta uma produção recorde de 20,4 milhões de toneladas de soja.

A colheita de soja está na fase final no Brasil, restando cerca de 25 por cento das áreas para serem colhidas.

MAIS MILHO QUE SOJA?
Já a safra de milho do Brasil 2011/12 foi estimada em um recorde de 64,6 milhões de toneladas pela Agroconsult, contra a previsão anterior de 63,7 milhões de toneladas e ante 57,4 milhões da temporada passada.

A estimativa de produção de milho poderia ter sido maior não fosse a seca que afetou também a safra de verão, já que o Brasil voltou a ampliar a área plantada, investindo bastante em tecnologia, especialmente em sementes transgênicas.

A primeira safra de milho foi estimada em 36,5 milhões de toneladas, ante 40 milhões de toneladas inicialmente. Já a segunda safra está estimada em 28,1 milhões de toneladas.
Segundo a consultoria, dependendo da produtividade obtida na segunda safra, a colheita de milho poderá superar a combalida produção de soja em 11/12.

A previsão maior de milho foi feita com base em um crescimento do plantio em Mato Grosso, que poderá plantar um recorde de 2,4 milhões de hectares -a semeadura da chamada "safrinha" está finalizada no Brasil, segundo a Agroconsult.

"Como está seguindo a safra de milho, poderá superar a de soja, não será surpresa, se as estatísticas mostrarem que o milho retomou a liderança na produção (de grãos)", disse ele, acrescentando que pelo há duas décadas essa possibilidade não existia.

Pessôa considera que esse cenário de aumento da produção de milho deve ser sustentado ao longo dos próximos anos. "Do ponto de vista tecnológico, a safra de milho caminha para produtividades melhores."

Eles disse ainda que os preços devem permanecer suficientemente altos para dar sustentabilidade a esse crescimento, mesmo com a grande safra esperada nos Estados Unidos em 2012, já que a produção norte-americana contribuirá apenas para a recomposição dos estoques, não deixando-os ainda em níveis confortáveis.

A Agroconsult ressalta também que existe mercado na suinocultura e na avicultura do Brasil para absorver o aumento da produção de milho. Além disso, o consultor avalia que o Brasil deverá se beneficiar da entrada da China como grande importador do cereal.

O analista prevê exportação de milho do Brasil neste ano em 11 milhões de toneladas, ante 9 milhões de toneladas em 2011. 

Fonte: Reuters