Soja MT: De olho na maior safra do país

Imagem retirada de http://agrolink.com.br/noticias/soja-mt--de-olho-na-maior-safra-do-pais_346504.html Imagem retirada de http://agrolink.com.br/noticias/soja-mt--de-olho-na-maior-safra-do-pais_346504.html

29/01/2016

Os principais institutos, entidades e consultorias que atuam no agronegócio brasileiro estão aportando em Mato Grosso para avaliar a real situação das lavouras da safra 2015/16 de soja. O impacto causado pela forte estiagem que castigou o plantio e fases importantes do desenvolvimento das plantas, de setembro a dezembro de 2015, como também, verificar in loco como a chegada das chuvas podem ou não estar beneficiando e recuperando parte do potencial produtivo da oleaginosa. Até a próxima semana, além de expedições compostas pela Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja/MT), estarão passando pelo Estado, técnicos do Rally da Safra, da Consultoria Agroconsult e da Expedição Safra, iniciativa da Gazeta do Povo, do Paraná.

As regiões de Sinop, Sorriso, Nova Mutum e Campo Novo do Parecis integram o roteiro da Equipe 2 do Rally da Safra 2016, em Mato Grosso. Os técnicos iniciaram a avaliação de lavouras de soja precoce no dia 25 e permanecem até o dia 29. Outra equipe chega e assume os trabalhos a partir do dia 31, no sudeste. Segundo projeções da Agroconsult, organizadora do projeto, o maior estado produtor nacional de soja deverá colher uma safra de 27,4 milhões de toneladas, volume 4% inferior ao da safra passada. A área plantada deverá crescer 2%, chegando a 9,1 milhões de hectares.

“Mato Grosso, com viés de baixa, pesa muito nos números. Caso haja perda de uma saca por hectare no estado, a perda total será de 546 mil toneladas. Temos ainda as regiões com atrasos, como o Leste do Mato Grosso, Noroeste de Minas Gerais, Oeste da Bahia, Sul do Maranhão e Piauí. Goiás, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina apresentam viés de alta e alguns estados caminham para a definição, como Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo. Os demais estados são neutros e não esperamos mudanças significativas daqui pra frente”, explica André Pessôa, coordenador do Rally e sócio-diretor da Agroconsult.

Ponto positivo nesta safra é a redução no número de aplicações de defensivos contra pragas e doenças - de 1 a 1,5 aplicação, se comparada com o mesmo período do ano passado. “É preciso olhar com atenção esse ponto positivo que é a redução de custo com defensivos. E este foi o primeiro ano com forte impacto da soja Intacta, ajudando na redução da pressão das lagartas”, diz Pessôa.

O primeiro roteiro da Expedição Safra durante a colheita de verão contempla o Centro-Oeste do Brasil. A partir de hoje, uma equipe começa a visitar produtores e técnicos em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso para conferir possíveis perdas geradas pelo clima. A região, uma das mais castigadas pelo El Niño desde o início do ciclo 2015/16, teve seu potencial produtivo reduzido em aproximadamente meio milhão de toneladas, conforme o Indicador Brasil divulgado pela Expedição no início de janeiro.

O projeto técnico-jornalístico volta a campo para confrontar as estimativas de produção com a realidade das lavouras de soja brasileiras. A série de viagens também contempla os terminais logísticos das cidades de Rondonópolis e Itiquira (MT). A intenção é verificar a estrutura de transporte disponível para escoar a safra até os principais portos exportadores de grãos. Depois de percorrer as lavouras do Centro-Oeste do Brasil, a equipe segue para Cascavel, no oeste do Paraná, onde participa do Show Rural.

Uma equipe da Aprosoja/MT começou na última segunda-feira, e percorre até o próximo sábado (30), lavouras de soja das regiões oeste, médio norte e norte de Mato Grosso. O objetivo da chamada Rodada Técnica é verificar, in loco, a situação da lavoura nesta safra sob o aspecto doenças, pragas e da logística durante a colheita. As Rodadas já fazem parte da programação anual da Aprosoja/MT, tanto durante o plantio como na colheita, e são uma forma de elaborar relatórios e entender melhor a dinâmica do campo e, também, auxiliar em ações da entidade a partir delas.

No roteiro estão previstos visitas aos seguintes municípios: Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis, Nova Maringá, Tapurah, Ipiranga do Norte, Sorriso, Nova Ubiratã, Vera, Cláudia, Sinop, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum.

Fonte: Agrolink, com informações do Diário de Cuiabá (escrita por Mariana Peres)